Ser Criança no Mundo Digital

O EVENTO

Como as crianças têm se relacionado com o mundo digital? E qual o papel das famílias, escolas, empresas de tecnologia e do governo nessa interação?

Para discutir sobre os desafios inerentes ao tema, o Instituto Alana – com o apoio do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), da SaferNet e do portal Lunetas – realiza uma série de conversas online, que reúnem especialistas das áreas da educação, psicologia, tecnologia e direito.

Os encontros acontecem sempre às 17h, faça sua inscrição! A transmissão ao vivo conta com recursos de acessibilidade (intérprete de Libras e legenda em tempo real).

Participe e Acompanhe

Nesta área você preenche o formulário de inscrição e também assiste à transmissão ao vivo. No dia do evento você terá como chave de acesso à live o e-mail inserido no cadastro.

Faça sua inscrição!

Ao preencher o formulário abaixo você está inscrito em todas as mesas do evento. A transmissão ao vivo ocorrerá nessa mesma área após a validação de seu email.

Cadastro de Dados Pessoais
Qual a sua relação com o tema?

Cadastro realizado com sucesso!

Esses dados serão usados exclusivamente para enviar comunicações sobre o evento e os temas abordados.

Caso queira sair da lista você pode se descadastrar pelo email que enviaremos.

PROGRAMAÇÃO

O papel da família

26/06 às 17h

Crianças no ambiente digital: oportunidades e desafios

Todas as crianças têm o direito de desenvolver uma relação com o ambiente digital onde prevaleçam as boas experiências – conexões significativas, aprendizados com sentido, diversão saudável – e nas quais sua privacidade e capacidade de se desconectar sejam respeitadas. Quais são os desafios e as oportunidades no percurso da garantia desse direito? O que cabe às famílias, às escolas, ao governo e às empresas e plataformas de tecnologia?

Convidados:

Vera Iaconelli

Vera Iaconelli

Psicanalista, mestre e doutora em Psicologia pela USP e diretora do Instituto Gerar. É também autora dos livros “Mal-estar na maternidade” (2015), “Criar filhos no século XXI” (2019) e colunista da Folha de São Paulo.

Rodrigo Nejm

Rodrigo Nejm

Diretor de educação da SaferNet Brasil. Doutor em psicologia social e pesquisador pós­-doutorando na área de interações sociais e privacidade nos ambientes digitais na Pós­-Graduação em Psicologia da UFBA.

Carolina Pasquali

Mediação:

Carolina Pasquali

Jornalista e diretora executiva do Instituto Alana.

03/07 às 17h

O papel das famílias na relação da criança com o mundo digital

Adultos e crianças usam as telas de muitas e variadas formas. Simultaneamente há muitas estratégias ao alcance das famílias que podem contribuir para o desenvolvimento de uma relação saudável, criativa e segura com o ambiente digital. Há que se avaliar qual delas faz mais sentido em cada fase da infância e, acima de tudo, fazer da tecnologia uma experiência compartilhada entre crianças e adultos.

Convidados:

Karina Menezes

Karina Menezes

Presidente do Raul Hacker Club de Salvador Bahia e idealizadora do Crianças Hackers. É pedagoga, professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Doutora em Educação na linha de pesquisa Currículo e (In)Formação.

Roberta Ferec

Roberta Ferec

Autora do livro “Tela com cautela. Um guia prático para criar filhos na era digital (sem perder a sanidade)” (2019). É escritora, palestrante, empreendedora e nômade digital.

Maria Isabel de Barros

Mediação:

Maria Isabel de Barros

Pesquisadora do programa Criança e Natureza do Instituto Alana.

O papel da educação

17/07 às 17h

A participação das crianças no mundo digital

O mundo cada vez mais conectado tem promovido mudanças significativas na maneira como as crianças vivem e aprendem. Essas modificações trazem muitas oportunidades – como novas formas de expressão, linguagem e interação – mas também muitos desafios, como exposição a vários tipos de violência e à violação de direitos. A cidadania digital deve fazer parte do currículo escolar e contribui para que as crianças tenham responsabilidade pela escolha do conteúdo e por suas ações ao usar a internet, telefones celulares ou outras mídias digitais.

Convidados:

Ariane Cor

Ariane Cor

Cofundadora do projeto Minas Programam. É designer, ilustradora, programadora e estudante de Ciências Sociais na Universidade de São Paulo (USP). Coautora do livro "Inovação de Mulheres Negras - táticas e políticas do cotidiano" (2019).

Inês Vitorino

Inês Vitorino

Coordenadora do Grupo de Pesquisa da Relação Infância, Juventude e Mídia da Universidade Federal do Ceará (UFC). É mestre em sociologia pela UFC e doutora em ciências sociais pela Unicamp e autora do livro "Televisão, publicidade e infância"(2004).

Raquel Franzim

Mediação:

Raquel Franzim

Coordenadora de Educação do Instituto Alana.

24/07 às 17h

Tecnologia como oportunidade de educação para todos

A conversa sobre tecnologia, infância e educação passa pelo reconhecimento de que somos diferentes e temos necessidades e caminhos diversos de aprendizagem, de compreensão, participação e expressão no mundo. Uma escola para todos assume a perspectiva da educação integral como eixo e a eliminação de barreiras e criação de apoios para que todas as pessoas possam ter um desenvolvimento pleno na vida e na sociedade.

Convidados:

Rita Bersch

Rita Bersch

Diretora da Assistiva Tecnologia e Educação. Possui formação pela Universidade Estadual de Northridge, EUA, e pela Fundação Don Carlo Gnocchi de Milão, Itália. É membro da ISAAC e da ISAAC Brasil e do Comitê de Ajudas Técnicas da Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República.

Odara Delé

Odara Delé

Educadora e empreendedora social da empresa Alfabantu. Escritora do livro infantil bilíngüe “Lukenya e Seu Poder Poderoso” (2019). É especializada em educação pela Universidade de São Paulo (USP) e atua como docente do Estado de São Paulo.

Raquel Franzim

Mediação:

Raquel Franzim

Coordenadora de Educação do Instituto Alana.

O papel do governo, das empresas e das plataformas de tecnologia

07/08 às 17h

Como garantir os direitos das crianças no mundo digital?

Segundo o artigo 227 da Constituição Brasileira, a criança deve ter seus direitos assegurados, com prioridade absoluta, por Estado, família e toda sociedade, e seu melhor interesse considerado em qualquer tipo de relação. Essa premissa se estende ao ambiente digital e revela a necessária responsabilização de diversos atores pelo desenvolvimento de uma experiência adequada para toda criança.

Convidados:

Marina Pita

Marina Pita

Graduada em comunicação social pela PUC-SP, é também formada pela Escola de Governança da Internet do CGI.br. Atual coordenadora do Intervozes e representa órgãos de defesa dos consumidores no Comitê de Defesa dos Usuários de Serviços de Telecomunicações (CDUST) da Anatel.

Paulo Rená

Paulo Rená

Mestre em Direito, Estado e Constituição pela Universidade de Brasília (UnB). É professor universitário e pesquisador (UniCEUB). Ativista, cofundador do Partido Pirata. Foi gestor do projeto de elaboração coletiva do Marco Civil da Internet (SAL-MJ).

Renata Assumpção

Mediação:

Renata Assumpção

Responsável pelos estudos de desigualdade e infâncias do Instituto Alana.

14/08 às 17h

Exploração comercial da criança no mundo digital

Com o objetivo de assegurar a ampla proteção dos direitos das crianças, é fundamental que os desenvolvedores de tecnologias estejam atentos às necessidades específicas dessa população. Os direitos das crianças precisam ser considerados e incorporados ao processo de desenvolvimento de produtos e plataformas desde o design, tendo garantida a proteção frente a violências e a exploração de todo tipo, inclusive comercial.

Convidados:

Danilo Doneda

Danilo Doneda

Advogado formado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e PhD em direito civil pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). É consultor da Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça (Senacon) e do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br). É membro do Conselho Consultivo para Privacidade do grupo Global Pulse da Organização das Nações Unidas e do InternetLab.

Kelli Angelini

Kelli Angelini

Advogada, gerente do jurídico do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) e do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br). É mestre em direito civil pela PUC/SP e professora convidada nos cursos de pós-graduação de direito eletrônico da Escola Paulista de Direito e do Insper. Autora do guia “Internet com Responsa - cuidados e responsabilidades no uso da Internet para pais, educadores e adolescentes”.

Isabella Henriques

Mediação:

Isabella Henriques

Advogada e diretora executiva do Instituto Alana.

Quer compartilhar ou convidar alguém para a série de conversas? Clique aqui.

Sobre os Encontros

Perdeu alguma das conversas? Nesta área você encontra os bate-papos na íntegra, além de conferir a cobertura completa do evento feita pelo portal Lunetas.

Vídeos

Notícias

Explore o Tema

Quer saber mais sobre infância e tecnologia? Abaixo fizemos uma curadoria de conteúdo sobre o tema. São artigos, matérias e vídeos que podem ajudar a aprofundar mais sobre esse universo.

Qual a percepção da população sobre educação inclusiva?

Levantamento do Datafolha, encomendado pelo Instituto Alana, revela que aproximadamente nove em cada dez brasileiros acreditam que as escolas se tornam melhores ao incluir crianças com deficiência.

Materiais pedagógicos acessíveis

O Mudalab realiza um curso para a construção de materiais pedagógicos acessíveis para auxiliar no processo de ensino-aprendizagem de estudantes com e sem deficiência.

Para a aprendizagem de todos

No artigo a seguir, Rita Bersch aborda os conceitos de desenho universal e tecnologia assistiva aplicados à educação.

Kimbundu na sala de aula

Com o aplicativo Alfabantu, criado por Odara Delé, a língua africana kimbundu ensina sobre a cultura afrobrasileira e traz a historicidade de um povo e sua importância na sociedade

Meninas no Youtube: participação, celebrização e cultura do consumo

O artigo aborda como youtubers mirins brasileiras se comportam na Internet. Quais os tipos de conteúdos que estas crianças criam e partilham?

Fundação Casa Grande

A instituição é um polo de atividades lúdicas e culturais para as crianças, espaço de empoderamento, de formação e de fortalecimento coletivo.

Internet também é coisa de menina!

Nesta entrevista, Ariane Cor fala sobre a iniciativa de ensinar programação às meninas e sobre o preconceito que existe no meio.

Eu sou pelas mulheres indígenas

Criada por alunas da Escola Estadual Indígena Pankararu Ezequiel (PE), a campanha contra o preconceito é veiculada no canal do youtube Rádia Cunhã.

Tecnologia aliada do aprendizado

Alunas do Centro de Educação Municipal Florindo Silveira, na Bahia, construíram um livro digital para reduzir casos de racismo e preconceitos na região.

"Internet com responsa na sala de aula"

O guia criado pelo Nic.br contém instruções essenciais sobre como usar a internet de forma consciente e responsável na sala de aula e estimular um uso positivo das tecnologias na escola.

Cidadania digital

Crianças e jovens têm utilizado plataformas digitais para mostrar que têm voz, promover causas e desenvolver projetos de impacto social.

Introdução "Tela com Cautela"

A publicação tem como objetivo ajudar pais, mães e responsáveis a orientar as crianças no que diz respeito a bons hábitos tecnológicos.

A geração mais observada da história

O "sharenting" é um hábito bem atual de familiares de publicar fotos, vídeos e relatos sobre a vida dos filhos. Essa exposição é algo necessariamente ruim? Quais cuidados todos precisam tomar?

TIC Kids Online Brasil 2019

Conheça os principais resultados da pesquisa que se dedica a compreender como a população de 9 a 17 anos de idade utiliza a Internet e como lida com os riscos e as oportunidades.

Como criar os filhos no século XXI?

O Portal Lunetas entrevistou a psicanalista Vera Iaconelli sobre os desafios da parentalidade na era digital e o limite do cansaço ao qual chegaram as mulheres com acúmulos de jornada.

Como orientar as crianças a usarem a internet?

No guia "Internet segura para seus filhos”, resultado da parceria entre CERT.BR, NIC.BR e CGI.BR, você tem acesso a dicas e sugestões para que familiares possam auxiliar as crianças a utilizar a internet de maneira mais responsável.

#digitalsempressão

Um guia para te ajudar a ter uma experiência mais positiva, equilibrada e inspiradora no Instagram.

O desafio da tecnologia na infância

Aprimorar o contato da criança com a natureza é um desafio coletivo: envolve a família, a escola e a própria tecnologia, entendendo que todos são aliados na reconstrução desta interação.

A tecnologia no começo da vida

Alguns especialistas defendem que manter crianças em frente a telas não é nocivo por si só, mas que algumas decorrências disso podem vir a ser. Assista ao episódio Criança e Tecnologia da série O Começo da Vida!

Infância e Tecnologia: Apresentação

Para contribuir com o momento que estamos vivendo e auxiliar famílias nas relações das crianças com as telas lançamos uma série de vídeos com depoimentos dos nossos especialistas.

Infância e Tecnologia: Como equilibrar o online e o offline?

Laís Fleury, coordenadora do programa Criança e Natureza, responde como equilibrar experiências digitais com outras atividades que não acontecem nas telas.

Infância e Tecnologia: Tempo de Tela ou Qualidade de Conteúdo?

Maria Isabel Barros, pesquisadora do programa Criança e Natureza, responde o que importa mais, tempo de tela ou qualidade de conteúdo.

Infância e Tecnologia: Dados Pessoais no Meio Digital

Pedro Hartung, coordenador dos programas Criança e Consumo e Prioridade Absoluta, responde como ficam nossos dados pessoais na internet.

Infância e Tecnologia: Equilíbrio na Convivência com as Telas

Raquel Franzim, coordenadora de Educação do Instituto Alana, responde como equilibrar experiências digitais com outras atividades que não acontecem nas telas.

Infância e Tecnologia: Telas Possibilitam Socialização na Quarentena

Laís Fleury, coordenadora do programa Criança e Natureza, responde como a tecnologia pode ajudar as crianças a enfrentarem esse período.

descubra MAIS